Sobre mim

julho 16, 2016

Oi!

Sou Ana Cristina Garlet, nascida em Anchieta, uma cidade pequenina do oeste de Santa Catarina, reduto de gaúchos descendentes de imigrantes europeus.

Cresci ouvindo histórias sobre nosso sobrenome, que talvez fosse italiano, talvez não. Talvez austríaco, talvez não. Durante minha graduação em Direito, um dos meus professores sempre brincava com esse meu nome: ele tinha certeza que era francês.

Há mais de uma década iniciei uma pesquisa sobre a minha família: tinha uma “necessidade”, uma sensação de que precisava conhecer a história dos meus antepassados e saber o que havia motivado a vinda deles para o Brasil.

psicogenealogia (14)Encontrei muitas respostas, flores e surpresas. Foi uma caminhada longa, mas de forma alguma cansativa: muito pelo contrário, quanto mais eu entrava em contato com a história, mas forte e inteira eu me sentia. Descobri que o que eu sentia sempre fez sentido: pela raiz do meu pai tenho Itália, França e mais longe ainda, os povos eslavos do norte no meu coração. Pela raiz da minha mãe, tenho a Itália pulsando nas fibras do meu ser, como minha segunda casa.

A Psicogenealogia foi uma destas surpresas, pois, durante minhas pesquisas e viagens para Itália e França, além da minha história entrei em contato com este conhecimento fantástico e quase desconhecido no Brasil: foi amor à primeira vista!

De forma intuitiva, comecei a minha busca pela história dos acontecimentos da minha família sem saber que aquela procura e aquele método de olhar para as percepções e sensações que eu tinha sobre a história e origem dos antepassados já existia com o nome de Psicogenealogia.

Das Raízes vêm os Frutos

psicogenealogia (12)

Tenho uma amiga que está escrevendo um livro sobre família. A gente passa longas horas conversando sobre o tema e, em uma tarde destas, estávamos falando sobre o título do livro dela. Sugeri o título que inicia esse parágrafo e ele foi por ela adotado, pois, realmente, eu acredito que é assim: nós somos frutos, mas temos muito, muito a ver com a árvore que nos deu origem. Temos traços de sementes bem antigas.

Acessar as informações de tudo o que veio antes para que hoje eu estivesse aqui, conhecer as datas e as sincronicidades de destinos me fez compreender muito mais de minha história e deu-me ainda mais certeza de que nós somos o resultado de muitas gerações que vieram antes de nós. Encontrei muitas respostas para fatos que pareciam incompreensíveis na minha família. Compreendi crenças. Vi destinos marcados. Encontrei um lugar de pertencimento e inclusão, que me ajudaram a resgatar uma força que veio de muito longe. Ganhei raízes mais fortes quando olhei com atenção e cuidado para todos os meus antepassados.

Os caminhos por onde já andei

psicogenealogia (16)

Na minha família, todo mundo já está acostumado comigo. Eles sabem que não me enquadro muito no padrão e que não sou muito “normal”. Sempre fui uma pessoa mais reservada e observadora, gostei de ler os poetas e pensadores, mas, apesar da calma externa, minha mente sempre muito inquieta me faz sempre mergulhar fundo naquilo que estou vivendo.

Esse jeito de ser me fez buscar muitas áreas do conhecimento, depois que concluí minha graduação em Direito. Fiz pós-graduação em Gestão de Empresas e também em Finanças e Mercado de Capitais. Atuei como Gestora Empresarial por mais de 15 anos e coordenei a criação de vários negócios.

Há alguns anos, já um tanto cansada do mundo corporativo, comecei a me questionar sobre a forma que estava vivendo minha vida e decidi me dedicar ao auto-conhecimento. Fiz várias formações: Filosofia Clássica na Associação Cultura Nova Acrópole; Comunicação e em Constelações Sistêmicas segundo Bert Hellinger pelo Instituto Spelter Brasil/Alemanha; Management Systemic pela Talent Manager/Portugal; Treinamentos com Dra. Ursula Franke-Bryson/USA e com Karin Shoeber/Áustria sobre Traumas; Treinamento com Maura Maura Saita Ravizza/Itália em Psicogenealogia e Constelações Psicogenealógicas; Treinamento em Pedagogia Sistêmica com Marianne Franke-Gricksch/Alemanha e Seminários de Constelações Familiares pela Hellinger Sciencia/Alemanha.

Hoje, continuo não sendo muito normal (risos…), divido meu tempo entre minha família, meus dois filhos, minha empresa e os estudos e trabalhos em Psicogenealogia e Constelações. Continuo com meu jeito um tanto reservado no corpo e hiperativo na mente e na alma, mas hoje compreendo que herdei estas características da minha árvore e que foram elas que garantiram a sobrevivência de muitas gerações. Hoje eu as integro, não preciso mais mudá-las e nem eliminá-las, ao contrário, eu as tomo para mim e compreendo que esse jeito de ser é a minha força, é o que me fez crescer como pessoa, como filha, como esposa, como mãe e como profissional.